quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Um embate inesquecível

Se te procurasse nunca te encontraria.
Por isso de modo algum te vou procurar.
Mas, do fundo do meu coração, espero esbarrar-me contigo.
Será a melhor colisão frontal que, algum dia, poderei ter.



sábado, 26 de novembro de 2016

Conjuntura do ser

Existem três cenários possíveis entre dois seres humanos:
- Há entendimento sem quezílias.
- Existem altercações para resolver e há capacidade de compreensão com solução.
- Só existem momentos de exasperação e nunca haverá consenso mútuo e resolução.
É preciso perceber o que se quer, e dá trabalho.




——————//——————
Nota:
É bom que se entenda o que cada qual desperta em nós e como queremos passar o nosso tempo neste planeta. Não desperdicem segundos preciosos mal empregues.



quarta-feira, 23 de novembro de 2016

O apetite

- Apetece-me chocolate!
- Tenho em casa. Combinamos à mesma hora no mesmo sítio?



domingo, 20 de novembro de 2016

Sinto-me tão leve


Mas que peso que me saiu de cima.
Esta libertação, inigualável, nem mensurável, de felicidade, liberta-me tanta tensão que mais parece uma ascensão.

 
Comecei de novo, e comecei, só que agora sei o que não quero, o que não suporto, o que abomino e aquilo que realmente estimo.

E a ti, neste momento, estimo é que vás mesmo até ao fim, te ponhas a milhas daqui, e a anos luz de mim.




quinta-feira, 17 de novembro de 2016

O abalo e o brinde

A vida, eventualmente, tira-te tudo, abala-te abusivamente, quase que compulsivamente, e quando menos esperares, estremece-te o chão que pisas, faz-te pensar que não aguentas, faz-te duvidar de tudo, de ti, do mundo, acabas por ver só injustiças.

Mas se não desistires, se te mantiveres perseverante, hirte e firme, no chão que tanto abanou, e que tanto te testou; essa mesma vida... a tua vida: vai brindar-te, presentear-te com o melhor, com tudo que é teu por direito, com tudo o que mereces.

Acredita sempre, agarra-te à vida, não desistas, sê forte, sê resistente, jamais desistas!




segunda-feira, 14 de novembro de 2016

A repetição

Tu precisavas dos teus momentos.
Eu ansiava os meus.
Ambos não gerimos bem as minhas e as tuas dores, nem as nossas emoções, nem as nossas frustrações.


Eu dava tudo para nos repetir, para te possuir, para ser teu, por um segundo que fosse, por um instante finito, pela minha felicidade, e quem sabe, pela tua também.

Pensa nisso!


sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Fofo e puro

Quando estamos juntos, há tanta fofice, passamos o nosso tempo todo a rir, não paramos até ambos nos conseguirmos vir.

Gostamos de sexo tântrico... mas na realidade estamos mais no intenso, no físico, no possante, no profundo, com orgasmos múltiplos à mistura, com tremores nas pernas e uma desmedida loucura, acima de tudo, algo puro e com uma gigantesca ternura.





quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Que recordação

Hoje acordei e pensei em ti.
Recordas-te do dia em que nos vamos apaixonar?
Conto os dias até lá chegar.




terça-feira, 8 de novembro de 2016

O pedido

Eras tu quem eu queria, quem eu adorava. Porque era inocente? Porque não sabia?

Sofri durante anos, procurei-te todos os dias, mas nada fazia sentido, nada era o que eu queria.

Falta-me assim tanta transparência? Falta-me assim tanta coerência?

Vivi para me explorares, para te satisfazer, para te enaltecer.

Só te pedi que fosses a minha paixão, o meu amor, a minha salvação.



domingo, 6 de novembro de 2016

A dádiva

Deste-me o melhor presente de todos: a capacidade de me apaixonar (sim, porque só isso, em si, é uma ciência a sua própria existência), a capacidade de sentir emoções tão complexas e extraordinárias, como dolorosas, inexplicáveis, inconsequentes e involuntárias.

Por isso te agradeço, te enalteço, te vanglorio, porque esta será, sem qualquer sombra de dúvida, a chave do meu coração, o futuro da minha criação.



quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Um vulcão em erupção

Não sou perfeito, nem espero sê-lo, mas quem o é afinal?
Dizes-me que sou bruto, pouco sensível. Sinto-me é incompreendido e que tudo o que sou não é efectivamente entendido.

 
Como podes tu dizer isso?

Logo a seguir, e com a espontaneidade que tanto adoro, mostro-me apaixonado, agarro-te em qualquer lado (amo quando tu o deixas e nem sequer questionas), na loucura do momento, ambos sabemos: sou um cabrão, mas vou dar-te toda a minha paixão.
 
Até porque tu e a tua interminável tesão, deixam-me completamente atordoado, parece que acabei de levar um abanão.
Se não te rasguei a roupa toda logo ali, pouco faltou, as tuas cuecas, nem as vi, mas dali já algo voou.

 
Pingamos por todo o lado, um em cima do outro, os gemidos não param, parece que vou rebentar, e tu pareces um vulcão!
A temperatura? É a mais extrema erupção!

 
Eu já nem sei quanto tempo passou, mas o teu sorriso de satisfação já me alegrou.  


terça-feira, 1 de novembro de 2016

Fim da linha

Se servi para aprenderes alguma coisa, talvez não tenha sido assim tão mau.
Tu ensinaste-me, e muito, nem imaginas. Foi cá um sarau.

Desaparece, a sério, ontem já era tarde, hoje até já tenho medo, e de amanhã em diante, não te espero ver tão cedo.