domingo, 30 de outubro de 2016

Sofrer e viver

Ainda assim prefiro sofrer!

Prefiro sofrer porque, sem o teu toque, sem o teu beijo, sem o teu cheiro, sem o teu amor ou gracejo, não sabia o que é um coração palpitante, aquela falta de ar sufocante, um voraz afagar de emoções exuberante.

Juntos nutrimos tanta força, entusiasmo, paixão e saudade. Ai a saudade...

Quem nunca sofreu, ainda nem sequer viveu!

 


quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Uma companheira a sério

Dou-te todo o valor.

Tu! Como mulher, que proteges o teu homem, que preservas o teu amigo e companheiro, não tens preço, não crias dúvidas, não mereces mais nada que não seja amor.

Tu! Mulher que investes na tua cara metade, que nada impedes, que nada comprometes, és e serás sempre alguém, que inequivocamente, tudo merece; és um ser raro, com todo o mérito, digno de todo o amor.

Eu? Eu dou-te todo o valor!

 


quarta-feira, 26 de outubro de 2016

O impedimento

Divides amor em dois, separas, subtrais e retrais tudo o que só devia existir em uníssono.

Impedes a saída ou manifestação da consciência íntima que nos faz viver esta paixão.

Mas que raio de sentimento é esse? Mas que te passa pela cabeça num momento em que tens tudo aos teus pés e nada te chega? Nada te serve?

Das nozes que tiveste os dentes perdeste, da água que bebeste, do prato que comeste, com tudo ardeste!

 


segunda-feira, 24 de outubro de 2016

A verdade da mentira

Adoro quando me mentes!
Porque sei que até a ti te enganas.


Amei quem não devia. Amei quem não me queria. Não houve paz, não houve descanso.

Adoro quando me mentes!
Porque agora já não me enganas.


 

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Sem dó nem piedade

Ainda bem que gostas de abusar de mim.
O teu abuso é definitivamente e explicitamente empolgante, fervoroso, emocionante, impetuoso.

 
Enquanto o fizeres, eu aproveito, deleito-me no que me fazes, no que me tornas naquele exacto instante, naquele momento perfeito.

Mas abusa, não te prendas, não te retraias, abusa mesmo, não me largues, não me dês descanso.

Em parcas palavras: arrebata-me veemente, com violência, sem qualquer tipo de pudor ou prudência.

 


terça-feira, 18 de outubro de 2016

Nunca digas nunca

Nunca te quis magoar e tu dizes que te magoei.

Nunca te quis a sofrer e tu sofreste.

Nunca te quis enganar e tu pensas que te enganei.

Nunca te quis ver chorar e tu choraste.
 
Nunca te quis mentir e tu julgas que te menti.

Nunca te quis maltratar mas maltratei-te.
 
Nunca te quis limitar e parece que te limitei.
 
Nunca te quis perder mas, mesmo assim, a vida impôs-me perder-te.

 


segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Crescer e amadurecer

Somos o espelho de tudo o que vivemos, de tudo o que sofremos, de todas as experiências falhadas, e claro, das alegrias também (mas essas não interessam a ninguém, não nos ensinam nada).

Se esses desaires todos nos tornam mais fortes, e com a maturidade que tanto procuramos, porque não passamos a vida a querer falhar? Ou simplesmente a falhar propositadamente?

 Eu falho, e orgulho-me disso.


 

sábado, 15 de outubro de 2016

Um sentimento que se perpétua

Perpétuo o primeiro beijo que te dei, e no momento em que ainda suspirávamos, te agarrei firmemente e assim te penetrei.

Cada orgasmo, cada clímax, um atrás do outro cada vez mais intenso e fugaz! Uma experiência sensorial capaz de me acordar e que teima em me assombrar.

Recordo-me como se fosse ontem. Como se, a minha vida, disso dependesse e do fim do mundo se tratasse, como se sem isso não respirasse.


Meu deus, terá mesmo sido ontem? Será que foi hoje?
Será este o sonho que anseio, que vivo na minha mente e que se mantém permanente?




quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Para ti e por nós

Não renunciei a nada, não te desamparei, se o tivesse feito, se tivesse desistido, não estaria aqui, agora e para sempre!

Se não me abandonares, eu nunca te deixarei, aqui estarei e aqui ficarei, para ti, por nós, eternamente!

Acreditas?


segunda-feira, 10 de outubro de 2016

A receita

Mas que grande enferma que me saíste, podias e devias ser assim, doente e com uma dose de loucura até, mas por amor, por nós, por tudo aquilo que somos e fomos até aqui.

Posologia (para ti, para mim e para todos): amor às fatias, à tarde, à noite, de manhã, em cima da bancada, no quarto, no carro, na praia, no WC, em cima da mesa, por baixo da cama ... Enfim; isso e mais, em doses cavalares!

Onde é que pedimos esta receita? É para seguir à risca.

 


sábado, 8 de outubro de 2016

O noivo

- Quando eu me casar, caso-me ali, naquele hotel, ali sinto que poderei amar, ali sei que vou conseguir voar.
- Vais-me convidar?
- Tu és o noivo!

 

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Vidas passadas

Se tudo estava tão errado, porque é que parecia tão certo?
Se tudo estava tão trocado, porque é que parecia tão exacto, tão correcto?


Senti que te conhecia há tanto tempo, neste mundo e em qualquer outro, nesta vida e na anterior. Parecia que fazias parte de tudo o que eu sabia, de tudo o que eu vivia.


Mas afinal estava tudo tão desligado, tão instável, tão desconexo, tão desagradável.
Trouxemos isto tudo do passado?
Nada, mas absolutamente nada ficou tratado, nada ficou resolvido.


Hoje, não nos vemos, nem sequer falamos, não comunicamos, só nos odiamos.

 



domingo, 2 de outubro de 2016

Usa e abusa

Já percebi que estás a usar-me.
Ontem usaste-me três vezes de seguida.
E agora já está na hora de me usares a quarta vez.