domingo, 11 de setembro de 2016

A prisão

Se amar é isto, não me ames.
Liberta-me da prisão que nos envolve, da dor que nos consome.

 
Dá-me o que, puro e simplesmente, te recusas a dar-me.

 
Oferece-me o teu melhor, mas porque queres, porque assim o sentes e retribuis.
Os teus bloqueios, que tu preferes não ultrapassar, são as minhas dores, os meus receios.

 
Tentei sempre ajudar-te, ser o que precisavas, neste, naquele e em qualquer outro momento.
Mas senti sempre que não estavas aqui, que não vivias comigo, que não me querias contigo.

 
Amar não é isto, amor não tem só um caminho, ou só um sentido.
Amar não é isto, talvez nunca chegue sequer a saber, mas amar não é isto.


 


Sem comentários:

Enviar um comentário